Warning: array_rand() [function.array-rand]: Second argument has to be between 1 and the number of elements in the array in /home/storage/2/f8/d4/revistaraiz1/public_html/portal/templates/raiz_visuais/index.php(59) : eval()'d code(1) : regexp code(1) : eval()'d code on line 252

Warning: array_flip() [function.array-flip]: The argument should be an array in /home/storage/2/f8/d4/revistaraiz1/public_html/portal/templates/raiz_visuais/index.php(59) : eval()'d code(1) : regexp code(1) : eval()'d code on line 253
 
Sao Paulo, 26 de Maio de 2017
Seções
Agenda de Eventos
Entrevistas
Imagens de RAIZ.
Últimas Notícias
Vídeos de RAIZ
   
Vendas
Cultura e Pensamento


 
A Declaração de Amor a Negra Salvador
Imprimir E-mail
Por Revista RAIZ.

Mostra ‘Salvador Negroamor’ , maior exposição a céu aberto do mundo gera polêmica na Bahia.

Por Thereza Dantas

A capital baiana tem hoje a maior exposição fotográfica a céu aberto do mundo, com 1.501 painéis do fotógrafo Sérgio Guerra espalhados por ruas, avenidas, monumentos e praças da cidade. Trata-se do projeto Salvador Negroamor, lançado no último dia 8 de janeiro, no Museu de Arte Moderna da Bahia – MAM-BA, no Solar do Unhão.

A partir da inauguração da exposição no dia 8 de janeiro, instaurou-se em Salvador uma discussão sobre o valor, a qualidade estética ou  a ocupação urbana das fotos de Sérgio Guerra. De acordo com o fotógrafo muitas dessas preocupações escondem “um olhar preconceituoso sobre os afro-descendentes”. A situação ficou tão tensa que a ONG Salvador Negroamor  fez  uma pesquisa de rua e descobriu que 89% da população aprovou a exposição que ocupa mais de 9.073 m² de arte em painéis distribuídos pela cidade. Para o fotógrafo um dos pontos que mais chocou foi os "formadores de opinião" foi o  “ter que olhar para cima e dessa forma enxergar os afro descendentes ”.

Os suportes e formatos serão variados, abrangendo desde outdoor, frontlight e backlight até muros, praças, fachadas de shoppings e casas. O projeto conta com o patrocínio da Petrobras, pela Lei Rouanet, e apoio da Prefeitura de Salvador, Governo da Bahia, Rede Bahia, Coelba, Shopping Iguatemi, Shopping Barra, Lojas Insinuante, Wal Mart/Bompreço, Concessionária Litoral Norte (CLN) e Uranus2.

O projeto une arte, cultura e cidadania, através de diversas atividades interligadas, como a exposição, um CD de músicas, um livro de fotografias e um Portal na Internet, da ONG Salvador Negroamor. A idéia surgiu depois do sucesso da mostra Lá e Cá, que, há um ano, transformou a Feira de São Joaquim em uma verdadeira galeria a céu aberto com uma mostra de mais de 400 fotos feitas no local e no Mercado de São Paulo, em Luanda.

Além da megaexposição fotográfica, o Salvador Negroamor compreende diversas ações alinhadas com o conteúdo do Manifesto sobre democracia e valorização da identidade e representatividade do povo negro, lançado na abertura da mostra Lá e Cá. A meta é que o movimento culmine na criação de um fórum mundial africanista permanente com sede em Salvador, a partir de 2009. “Nesse grande encontro que está sendo organizado, queremos discutir políticas, a afro religiosidade, formas de preconceito, projetos de inclusão, tolerência.”

Desde abril de 2006, o fotógrafo participou de cerca de 200 reuniões com sindicatos de classe e patronais, entidades do movimento negro, empresas, órgãos do governo, polícia militar, associação de moradores, entre outros segmentos da sociedade civil organizada, em busca de diálogo e mobilização. O fotógrafo também visitou vários bairros populares, onde registrou em imagens fotográficas toda a rica identidade da cidade. O resultado foi um acervo de mais de 16 mil fotos de pessoas anônimas, além de lideranças religiosas e mestres da cultura popular. “Com meu trabalho quero dar protagonismo a essas pessoas que a sociedade não quer enxergar”, diz Sérgio Guerra.

A curadoria ficou por conta do artista plástico e presidente do Cortejo Afro, Alberto Pitta, que durante dois meses selecionou imagens que tivessem a ver com cada área dentro dos seis eixos estabelecidos pelo projeto, contemplando do subúrbio à orla marítima. Os eixos foram divididos em Turístico, Praias, Bairros e Espaços Populares, Grandes Avenidas, Subúrbio e Lá e Cá, em referência à exposição do verão passado na Feira de São Joaquim “Para os bairros nobres, escolhemos fotos de moradores de áreas populares em suas janelas, passando a mensagem de que a felicidade está em qualquer lugar, tanto nas mansões como em casas simples da periferia”, explica o curador.


Exposição que une Cidadania e Estética

O projeto Salvador Negroamor consolida-se em uma organização não governamental de mesmo nome que, na ocasião do lançamento da exposição fotográfica, apresenta à população o seu Portal de serviços na Internet. Outro produto importante do movimento é o CD com compilação de músicas que versam sobre o tema da cultura afrodescendente, como Massemba, Brilho e Beleza, Alegria da Cidade e Zumbi, além da inédita Salvador Negroamor, uma parceria entre Sérgio Guerra e Péri. O CD é vendido nas principais lojas especializadas e sua renda, bem como a do livro de fotografias, será revertida para a ONG Salvador Negroamor.

Serviço:
Exposição Salvador Negroamor
De 18 de janeiro á 16 de fevereiro nas ruas soteropolitanas

Para saber mais sobre o projeto Salvador Negroamor